Telefone

47 3368-9438 | 9.9127-5156

Endereço:

Final da Rua 258, esquina com a rua 260-A, nº915 - Meia Praia/Itapema (Ao lado do Colégio Atlântico)

A Fonoaudiologia na Educação

Saiba mais sobre Fonoaudiologia educacional e suas áreas de atuação

A atuação do fonoaudiólogo nas escolas é ampla e de grande importância. O fonoaudiólogo educacional atua de forma preventiva. Diferentemente da clinica cuja atuação é terapêutica, portanto, não cabe ao fonoaudiólogo que trabalha em escolas realizar terapias fonoaudiológicas.

Alguns dos objetivos do trabalho fonoaudiológico com os alunos:

  • Aprimorar o desenvolvimento da linguagem oral/escrita.
  • Promover estratégias de prevenção, preservação e controle de abusos e riscos para a voz e audição.

Desse modo, quando a criança não está escutando bem, tem letra ininteligível e/ou troca as letras, tem trocas na fala, está tendo dificuldades na aprendizagem ou outras alterações. Cabe ao fonoaudiólogo observar e orientar os professores na escola sobre como trabalhar com essas questões. Quando necessário ele poderá realizar encaminhamentos para outros profissionais.

Outra ação do fonoaudiólogo no âmbito escolar seria orientar os professores quanto aos cuidados com a voz. E estratégias vocais para conservação desta e aprimorando de suas habilidades didáticas para auxiliar na comunicação com o aluno.

Além de estar participando dos projetos pedagógicos, colaborando com estratégias de ensino. Sempre de acordo com cada aluno/turma, podendo prevenir possíveis problemas de aprendizagem.

O fonoaudiólogo educacional pode também organizar palestras não apenas para os professores e alunos, mas para os pais, fazendo com que eles possam ficar mais cientes quanto as alterações fonoaudiológicas comuns na infância. Além da importância do estímulo familiar para otimização do desenvolvimento da criança.

Fonoaudióloga Lara Karina Soares, CRFa 3 – 10884,
Trabalha na Clínica Revitalité na área de fonoterapia com crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentam alguma dificuldade de comunicação ou que pretendem aperfeiçoar esta nas áreas de linguagem oral, escrita, dicção, voz, fluência, dentre outros.

Disfagia: o nome é estranho, mas o problema é mais comum do que você imagina!

Conheça essa alteração na deglutição.

A Disfagia é uma alteração do padrão normal da deglutição que pode ocorrer desde o recém nascido ao idoso, ou seja, o indivíduo passa a ter dificuldades para engolir alimentos, líquidos e a saliva, em qualquer etapa do trajeto entre a boca e o estômago.

Com o objetivo de alertar sobre os riscos da doença, 20 de março foi instituído pela Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia como o Dia de Atenção à Disfagia.

As principais complicações que podem ser ocasionadas pela disfagia são: O aumento das chances de pneumonia aspirativa, a ampliação do tempo de internações (devido à desnutrição e à desidratação), o desinteresse por alimentos. Assim como a debilitação da saúde de modo geral e a consequente perda da qualidade de vida.

Quem está mais suscetível a apresentar Disfagia são adultos que possuem doenças neurológicas (AVC, Esclerose Lateral Amiotrófica, Parkinson, Esclerose Múltipla e demências), traumatismos crânioencefálicos e alterações mecânicas (câncer de cabeça e pescoço, queimaduras, refluxo gastroesofágico, doenças cardíacas).

Já entre os bebês, o risco é maior para os prematuros, os que têm má formação do sistema digestivo, Fissura Labiopalatina, doenças neurológicas ou algumas síndromes como, por exemplo, a de Síndrome de Down.

No caso dos idosos, as chances de Disfagia são ainda maiores, uma vez que algumas mudanças geradas pelo envelhecimento.
(como a perda de força muscular, a redução da velocidade ao mastigar, a precisão e coordenação dos movimentos), podem provocar a dificuldade para deglutir!

Sintomas:

Os principais sintomas são: falta de ar durante ou após a alimentação, perda de peso, pneumonias de repetição, dificuldade para mastigar, preparar e manter o alimento na boca, tempo prolongado para engolir, sensação de alimento parado na garganta, dor ao engolir, restos de comida dentro da boca após engolir, escape de alimento pelo nariz, mudança na voz após engolir, tosse ou pigarro constante durante a alimentação, engasgos frequentes durante as refeições ou ao deglutir saliva, falta de interesse em se alimentar e mudança na cor da pele durante ou após a alimentação.

A Disfagia é uma das especialidades pertinentes ao Fonoaudiólogo, profissional habilitado para avaliar a deglutição orofaríngea, identificar quais são as alterações existentes, orientar e reabilitar os distúrbios da deglutição. Um trabalho multiprofissional é de extrema importância, pois, haverá mais chances de sucesso no diagnóstico e no tratamento!

Algumas dicas são importantes durante as refeições, principalmente para quem já apresenta dificuldades. Alimentar-se sempre sentado, em ritmo e velocidades seguros, evitar distrações enquanto se alimenta, procurar não conversar enquanto está comendo, manter atenção durante as refeições e evite assistir televisão, ouvir rádio ou permanecer em um ambiente barulhento.  Procure um Fonoaudiólogo!

Fonoaudióloga Lara Karina Soares, CRFa 3 – 10884, trabalha na Clínica Revitalité  – Meia Praia/Itapema. Na área de fonoterapia com crianças, adolescentes, adultos e idosos que apresentam alguma dificuldade de comunicação ou que pretendem aperfeiçoar esta nas áreas de linguagem oral e/ou escrita, dicção, voz, fluência (gagueira), dentre outros.

Loading...